Por Lapinha

 Eu tinha acabado de chegar ao Texas. A facilidade com que eu passei pela imigração me deu a sensação de que a minha cara de pau ia compensar o meu inglês macarrônico. Se bem que aquele sotaque do sul não ajudava em nada. Maldito Tex-english. Fui direto do aeroporto para o almoço, estava faminto.

Segui a indicação de um amigo e fui para um restaurante que prometia servir “o mais autêntico sabor sulista”. A ilustração em página dupla logo na contracapa do cardápio não deixava dúvidas sobre qual era o carro-chefe da casa, não tive dúvidas:

– A boss sirloin please!

– Yes sir. Rare, medium rare, well done…

Essa eu aprendi no IBEU, molezinha! Ele está perguntado o ponto da carne. Mal passado:

– Rare, please.

– Ok sir. Some entrées?

Quem foi que mudou o idioma do filme? O garçon tá falando francês gente! Se continuar assim vai dar ruim heim! Se bem que “entrées” é fácil de entender que é entrada. Graças as minhas idas ao Outback de Del Castilho não tive dúvidas sapequei um:

– Caesar salad please!

– Yes sir!

– Uhuuuuuu!

– Sorry sir.

– …

– Aaaaaah, and the lunch side sir?

Ih deu ruim? Será que ele tá perguntando se tem alguém comigo… Alguém do meu lado…

– I’m alone.

– What?

– Puta que pariu!

– The lunch side sir. Apontou no cardápio.

Lunch side = acompanhamento do almoço. Ninguém me ensinou isso na praga do curso de inglês… Pra minha sorte li logo na primeira linha “french fries”. Foi como ler um bilhete premiado. Deus salve a batata frita! Por aqui chamada de batata francesa, french fries. Fiz cara de quem manja dos paranauês e mandei alto e em bom som:

– French fries.

– Yes sir. How do you like your fries sir?

Porra como assim como eu quero a minha barata frita! Tá de sacanagem né….

– How do I like MY fries?

– Yes Sir.

– French porra!

– What?

Esse garçom é retardado. Não é possível que meu sotaque seja tão ruim assim. Deve ser o primeiro dia dele. Até pensei em perguntar – It is your… – não, não –  Is it your frist d.. – ah, deixa pra lá…

– I want French Fries!

– Yes sir, but which kind?

Puta que pariu, aqui tem “tipo” de batata frita? Não faço ideia… Vou perguntar que tipo que tem…

– Could you please tell me what kinds do you serve here? – Mandei bem.

– Yes Sir… With 3#@hss cheese, alligator sauce, jambloishss corn, cheese huashitd, cheese jausias, cheese aiaiaai, 8%¨slam, ababababa, kosnros usa9sa,  xpto123, chicachicachica, Mickey mouse, moon side olive, chip octablions, hagatanga blue sky, blue ch@se, hi87$#@.

Aí fudeu pra mim… Vai ter tipo de batata frita assim lá puta queo pariu véio. E agora… Bem que ele poderia me sugerir uma:

– Please, which do you suggest to me?

– Well… The 3#@hss cheese, alligator sauce or kosnros usa9sa.

Mas esse garçom é um bom filha da puta. Custava sugerir uma coisa só? Bem, pelo menos reduziu as opções… Juro que eu o ouvi falando alguma coisa de jacaré…Será?  Não, não é possível… Se eu mandar um “repeat please” ele vai cuspir na comida… Já sei! Vou perguntar qual que vende mais:

– Which one is the top-selling?

– Well, the alligator sauce sir.

Gente! Não é que tinha batata frita de jacaré. Vai ver é esse o tal “mais autêntico sabor sulista”. Quero essa:

– So, the alligator one.

Enquanto ele anotava e antes que ele me fizesse outra pergunta, me antecipei e pedi um chope:

– And a draft beer, please.

– Which beer do you prefer Sir?

Qual cerveja eu prefiro!? Lá vamos nós de novo…