A Terra das Cachoeiras

Já ouviu falar na terra das cachoeiras? Bem-vindo à Carrancas!

O pequeno município com pouco mais de 3 mil habitantes possui dezenas de opções para ecoturismo como cachoeiras, grutas, canions, pinturas rupestres mirantes simplesmente sensacionais. Além de servir como base para gravações de diversas novelas da Rede Globo.

É até estranho ver como Carrancas ainda não despertou para o turismo como seus colegas mais nobres. Ponto positivo, pois ainda é possível se admirar algumas cachoeiras com poucas pessoas ao redor. (Dependendo da época, obviamente)

A ressalva fica para os guias da cidade, que restringem boa parte das informações para poder obrigar o turista a pagar para chegar a locais relativamente de fácil acesso. Em uma trilha, paramos e pedimos informação sobre a Proa para um guia que estava com um grupo. O rapaz se limitou a dizer: “O ideal é ir com guia“. Depois descobrimos que seguindo mais 150 metros abaixo da Cascata da Zilda, teríamos chegado lá. Apesar de não haver muita sinalização, chegar às principais cachoeiras é extremamente fácil e guias são completamente dispensáveis se você tiver o mínimo de experiência em trilhas.

Complexo da Zilda

Um dos lugares mais incríveis para se ficar em Carrancas é no Complexo da Zilda. Distante 9 km do centro por uma estrada de terra (em certos pontos bem precária) esse pequeno vale possui menos de 10 casas e dali é possível conhecer diversas cachoeiras a poucos minutos de distância.

Nós nos hospedamos no Chalé da Zilda: estrutura bem simples, com cozinha completa e tudo que é necessário para uma ótima estadia. Nada de luxo, que fique bem claro. Até chegou a entrar um camudonguinho por debaixo da porta, o que causou um certo desespero na minha namorada. Mas foi só espantar ele pra fora e tampar o vão.  =P

Ah. O preço também ajuda: R$75,00 a diária para o casal. =)

Carrancas Terra das Cachoeiras Mochila e Etc

– Complexo da Zilda e suas atrações-

Algumas atrações

>  Cachoeira dos Índios  <

– Facílimo acesso –

A 5 minutos do estacionamento fica a cachoeira dos índios. Possui um bar próximo e costuma ficar bem cheio aos fins de semana, devido ao fácil acesso.

A 2 minutos dali ficam pinturas rupestres de mais de 3000 anos de idade! Sim, ali, DO LADO.

>  Cascata da Zilda  <

Atravessando a cachoeira dos índios, você encontra a trilha que te leva até a cascata da Zilda. Apesar de não haver qualquer indicação a trilha é muito bem demarcada e basta ir seguindo o curso do rio, quase pelas pedras, até avistar a queda de cima. Depois basta descer também seguindo a trilha e atravessar o rio para descansar na areia. 30 minutos no máximo e você já encontra essa beleza!!!

>  Escorregador da Zilda  <

Escorregador da Zilda

– Diversão garantida –

O escorregador da Zilda também é de fácil acesso e custa R$3,00 a entrada. Ali também existe uma área para camping. A única do Complexo da Zilda.

>  Cachoeira dos Anjos  <

Para chegar até a Cachoeira dos Anjos você enfrenta alguns percalços interessantes e até bem divertidos. A entrada custa R$15,00. (Isso mesmo. É bem carinho, mas eu prefiro uma entrada mais salgadinha do que cachoeira lotada e suja. Há anos atrás quando eu fui para Carrancas, fui por outro acesso gratuito, mas que foi fechado por uma pousada).

Já de cara você terá de passar por uma ponte de corda bem legal, se não preocupasse o fato de estarmos com material fotográfico caro. A solução foi um de nós entrar na água pelo cantinho esquerdo, ir buscando  as mochilas e deixar os outros se divertirem pela ponte.

– Ponte do rio que cai –

A trilha é muito bem sinalizada e a única dificuldade é ter que atravessar o rio algumas vezes e subir e descer de umas pedras maiores.

– Ruim para as baixinhas! –

>  Racha da Zilda  <

Ao lado da cachoeira dos anjos fica a atração mais esperada da terra das cachoeiras: a racha da Zilda, uma queda d’água lindíssima em meio a dois canions.

Aqui vale ressaltar: na entrada do complexo o fiscal frisa que apenas é permitido entrar  na racha com guias capacitados e equipamento de segurança. Provavelmente ocorreram mortes por lá, principalmente no período de cheia, onde o acesso se torna mais difícil. Como não queríamos gastar dinheiro, nos conformamos em chegar apenas até a entrada.

Apesar dos avisos, quando chegamos lá um casal estava acessando o local por conta própria e insistiram em nos levar também. O casal que estava conosco decidiu então, ir. E foi bem tranquilo!

Mas, mantenho o aviso: Só vá se tiver muita certeza do que estiver fazendo. (E pegue coletes na entrada que já estão inclusos no preço e facilitam demais)

– Sonrisal: casal indo com guia e casal que nos convenceu –

A parte mais complicada é o chamado Sonrisal, que é um buraco de 7 metros de profundidade e uma queda d’água chata e que dificulta passar para o outro lado. Depois disso, à sua esquerda você verá uma passagem por entre os cânions que te levará a uma espécie de antesala. Dali você verá mais um acesso a sua frente, que te levará até a racha da Zilda. Lembrando que todo esse trajeto é feito nadando, em águas bem fundas e extremamente geladas. Por isso o colete é muito bem vindo!

Mais uma observação: em época de cheia o acesso a cachoeira fica fechado, devido ao perigo das correntezas.

>  Poço da Esmeralda  <

A 9 km do centro de carrancas, no Complexo da Vargem Grande, fica o poço da esmeralda. O acesso se dá por trilha fácil e bem sinalizada. Há também um restaurante na entrada do local, que está em propriedade particular. Entrada grátis.

A boa é chegar por volta de meio dia para pegar o sol batendo exatamente em cima e dando uma coloração toda especial na água. Infelizmente o tempo estava horrível quando fomos.

> Cachoeira da Fumaça <

Carrancas Terra das Cachoeiras Mochila e Etc

Cartão postal da cidade, a cachoeira da fumaça impressiona pelo tamanho e força de suas águas. Você estaciona praticamente ao lado, mas infelizmente ela foi interditada através de decreto para qualquer tipo de uso tanto pela poluição da cidade que deságua ali, quanto pelo número de mortes por afogamento que ocorreram no passado. Agora só nos resta apreciar à distância.

>  Mirantes  <

Carrancas Terra das Cachoeiras Mochila e Etc

– África feelings –

Estar no complexo da Zilda te traz esta facilidade. Qualquer morro pode se tornar um mirante em potencial.

Carrancas Terra das Cachoeiras Mochila e Etc

Bem no começo, na estrada Itutinga-Carrancas, fica o mirante da cidade. A vista é absurdamente livre e o pôr-do-sol dali deve ser maravilhoso. Mas não conseguimos aproveitá-lo. Quem sabe na próxima visita.

A terra das cachoeiras é um paraíso para os turistas e ainda faltaram algumas boas atrações para conferir. Sem dúvida voltarei para fechar tudo.

E você? Tem alguma atração pra destacar? Comenta aí!!

Mapa