Cachoeiras de Magé Mochila Etc

Magé

Com pouco mais de 270 mil habitantes, o município de Magé teve grande importância durante a época do Império. Com ampla rede hidrográfica, foi uma importante cidade portuária, escoando para o Rio de Janeiro toda sua produção agrícola. Para se ter ideia da importância do município na época, é ali que foi construída a primeira estrada de ferro da América do Sul: A estrada de ferro Mauá.

Apesar de possuir rica bagagem histórica e diversos atrativos naturais, Magé hoje é um município bastante humilde e muito pouco explorado turisticamente. Ao procurar na internet, vimos que as informações sobre as cachoeiras são extremamente escassas e até mesmo no site da prefeitura foi difícil encontrar algo relevante.

Ainda bem que existe o Mochila, né? 😉

Algumas atrações

Véu da Noiva – Rio do Ouro

Véu da Noiva Magé Mochila Etc

A queda do Véu da Noiva, com seus extraordinários 110 metros de altura, fica no bairro vizinho de Piabetá, Rio do Ouro (Obrigado, Iara!) e é praticamente desconhecida dos não moradores de Magé. Até bem pouco tempo atrás sua visitação era restrita, pois o acesso se dá pelo portão da CEDAE, que era vigiado.

Infelizmente é muito comum encontrar lixo pelo caminho e também não é difícil se deparar com moradores fazendo churrasco à beira da queda. Isso tudo porque não há qualquer tipo de controle ou fiscalização para que se diminuam os impactos ambientais na região. Apesar disso, a beleza do lugar ainda surpreende e pelo caminho existem vários poços para um bom mergulho!

Como chegar

Desde a Rua Guarani, em Piabetá, pegue a Estrada Municipal Antônio Além Bergara (conhecida apenas como Rua Municipal) e fique atento. Depois de uns 10 minutos, dobre a esquerda logo após o Bar da Glória. Depois dobre a primeira a direita e siga toda a vida pela estrada de terra. Importante ressaltar que o caminho é MUITO ruim e até arriscaria dizer que não é possível ir até o final sem um 4×4, porém os diversos carros comuns que chegam até lá me mostraram que tem louco pra tudo.

Após bastante buraco, pedras e batidas no assoalho do carro, você vai estacionar dentro da CEDAE e caminhar em torno de 30 minutos. Nesta trilha haverá duas bifurcações, mas não se preocupe. Basta manter sempre a sua esquerda que não tem erro! 10 minutos após a segunda bifurcação (onde há uma casa dividindo a trilha) você já ouvirá o barulho e conseguirá avistar a queda por entre as árvores. 

Véu da Noiva Magé Mochila Etc

– Dobrar à esquerda AQUI –

Para os que vão à pé, o caminho é um pouco diferente. Você deve pegar o ônibus que passa na Rua Municipal e descer na Cachoeira Grande (que fica um pouco depois de onde entraria de carro) onde há a concentração de bares ao longo da cachoeira. Subindo pelo curso do rio os bares vão acabando, as casas ficando cada vez mais escassas e, quando você menos perceber, estará em uma trilha. Apesar de bem demarcada é melhor se certificar sobre o caminho antes de começá-la, pois há bifurcações ao longo.

Monjolo – Santo Aleixo

Monjolo Santo Aleixo

– Corajosos –

A queda de Monjolo possui 45 metros de queda e fica no bairro de Santo Aleixo. Pode-se dizer que ela já é um pouco mais conhecida do que a Véu da Noiva, porém as indicações para a trilha são igualmente nulas. Lá você já encontra um público mais heterogêneo, mesclando moradores e pessoas de fora que procuram suas águas para relaxar.

Aqui, o poço tem uma profundidade excelente para banho e, para os mais corajosos, dá até para pular de pedras de mais de 6 metros de altura. Na pequena trilha que leva até a queda principal ainda há duas quedas boas para banho, mas que não possuem um bom poço para mergulhar, como a principal.

Monjolo Santo Aleixo

– Monjolinho –

Como chegar

Para conhecer Monjolo você deverá seguir até o final da Rua Capitão Antero, onde começa uma estrada com asfaltamento bem tosco. Aqui repito o que disse sobre o Véu da Noiva: Eu não teria coragem de meter meu carro se não fosse 4×4, mas o que mais vi é possante baixo chegando na entrada da trilha. Então, há duas alternativas:

1 – Deixar o carro no começo da estrada de terra e caminhar cerca de 3km, com bastante subida;
2- Deixar de ser fresco e ir até o final maltratando seu querido amigo.

Como não há qualquer indicação, fica difícil precisar onde exatamente fica a entrada trilha. A dica é marcar a quilometragem no começo da estradinha de terra e a partir do 3º km prestar atenção na entrada que fica a esquerda, bem depois de uma curva em S.

Cachoeira Monjolo Santo Aleixo

– entrada da trilha –

Sem dúvida o município de Magé ainda esconde outras cachoeiras e relíquias históricas para se apreciar. Pretendemos voltar muito em breve para continuar a exploração turística da região e trazer mais novidades para vocês!

Tem alguma sugestão? Manda pra gente ou comenta aí embaixo! =)

Mapa